Variedades

BRS KURUMI

Pennisetum purpureum Schum

Desenvolvido pelo Programa de Melhoramento Genético de Capim Elefante da Embrapa, originou-se do cruzamento entre as cv. Merkeron de Pinda (BAGCE 19) e a cv. Roxo (BAGCE 57). A BRS Kurumi foi obtida pela seleção e clonagem de uma das plantas de porte baixo desta progênie.

Home / BRS Kurumi

BRS Kurumi

A BRS Kurumi, como forrageira tropical, é adaptada a maior parte das regiões brasileiras. Por apresentar alta produção de forragem e excelente estrutura de pasto, a BRS Kurumi caracteríza-se pela elevada proporção de folhas e pequenos alongamento de colmo.

Estas características favorecem um maior consumo de forragem pelos animais em pastejo, além de facilitar o manejo da pastagem diminuindo a necessidade de roçadas frequentes.

Dados Nutricionais e Produtividade

%

Proteína Bruta

%

Fibra Detergente Neutro

Produtividade (Ton MS/ha/ano)

Nome cientifico: Pennisetum purpureum Schum.

Cultivar: BRS Kurumi – Merkeron de Pinda (BAGCE 19) x Roxo (BAGCE 57)

Fertilidade do solo: Alta

Forma de crescimento: Semi aberto

Altura: 0,7 a 0,8 m

Utilização: Pastejo direto

Digestibilidade: Boa

Palatabilidade: Boa

Precipitação pluviométrica: Acima de 800 mm anuais

Tolerância à seca: Boa

Tolerância ao frio: Boa

Teor de proteína: 18 a 20 % na MS

Profundidade de plantio: 15 a 20 cm

Ciclo vegetativo: Perene

Produção de forragens: 25 a 30 ton/ha/ano de MS

Cigarrinha das pastagens: Suceptível

Consorciação: –

Origem

Brasil – Embrapa

A BRS Kurumi, como forrageira tropical, é adaptada a maior parte das regiões brasileiras.

É recomendado o cultivo em solos profundos, bem drenados e de boa fertilidade. O capim elefante é extremamente exigente em fertilidade do solo, portanto, requer níveis de pH acima de 5,5 e Saturação de Bases de 50 a 60%.

O Plantio deverá ser realizado com mudas, com espaçamento de 0,5 x 0,5m. A adubação fosfatada deve ser realizada no sulco de plantio ou na cova.

Adubação de Plantio:
– 100 Kg/ha de P2O5

Adubação de Cobertura:
– 40 a 50 Kg/ha de N e K20 – 60 a 70 dias após o plantio

Adubação a partir do 2º ano:
– 60 Kg/ha de P2O5 – Adubação em cobertura

 

A BRS Kurumi caracteriza-se por apresentar porte baixo, touceiras de formato semiaberto, folha e colmo de cor verde e internódio curto. Apresenta crescimento vegetativo vigoroso com rápida expansão foliar e intenso perfilhamento. Alta proporção de folhas. O plantio é realizado por meio de propagação vegetativa (estacas).

É recomendado o cultivo em solos profundos, bem drenados e de boa fertilidade. Exigente em fertilidade com necessidade de adubação e irrigação para expressar todo o potencial produtivo.A infestação com Brachiaria decumbens e/ou Brachiaria brizantha tem sido apontada como um dos maiores entraves para o estabelecimento e a persistência de pastos de capim-elefante. Por isso, se possível, deve-se evitar a implantação em áreas de capim-braquiária, ou, então, proceder a um controle rigoroso por meio de dessecações e gradagens.

O método de pastejo recomendado para a exploração a pasto do capim-elefante é o de lotação rotacionada. Preconiza-se a entrada dos animais quando o pasto apresentar entre 75 e 80 cm de altura e a retirada deles quando o rebaixamento atingir 35-40 cm. Durante o período chuvoso e com uso de adubação em cobertura após cada ciclo de pastejo, o período de descanso dos piquetes tem sido de mais ou menos 22 dias.

Soluções Digitais

A Viver Grass possui algumas ferramentas e serviços para ajudar os agricultores e pecuaristas a tomar decisões corretas, ajudando a maximizar seu retorno financeiro com a sua atividade. Abaixo estão as soluções disponíveis no momento.

LabGrass™

© 2019 Viver Grass | Institucional. Todos os direitos reservados